Sergio Gargioni assume a FAPESC

Sergio Luiz Gargioni é o novo presidente da FAPESC (Fundação de Apoio à Pesquisa Científica e Tecnológica do Estado de Santa Catarina). Consultor empresarial e professor da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) com pós-graduação nos Estados Unidos e na Suíça tomou posse na presidência dia 3 de janeiro, após décadas de experiências profissionais, sendo os últimos oito meses como assessor da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDS), à qual está ligada a Fundação.

A FAPESC vai ser um modelo de gestão pública, dentro das limitações que o Estado impõe, por conta do percentual de recursos garantidos pela Constituição Estadual e pela Lei Catarinense de Inovação ao financiamento da pesquisa científica, que nunca foi repassado integralmente. Nossa prioridade máxima é fazer cumprir o repasse do 1% constitucional para a FAPESC.

Sérgio Gargioni, presidente da FAPESC

Outras metas iniciais do presidente são: alinhar programas de pesquisa e inovação com o plano de governo do governador Raimundo Colombo; agilizar o processo de prestação de contas por parte dos pesquisadores beneficiados por recursos estaduais; e divulgar os resultados obtidos por eles à sociedade como um todo.

Para atingir estes objetivos, Gargioni tem o apoio do Conselho Superior da FAPESC, conforme manifestado na última reunião do grupo, mês passado. Na ocasião, o então presidente, Antônio Diomário de Queiroz, salientou que seu sucessor tinha bom trâmite na academia, no setor empresarial e no governo – três esferas essenciais para o desenvolvimento baseado no conhecimento.

Da teoria à prática
Gargioni se formou em Engenharia Mecânica na UFSC em 1971 e já no ano seguinte lecionava nesta instituição. Em 1973, concluiu mestrado na Universidade de Illinois (EUA) e até 2006 fez cursos diversos, entre eles o de Administração de Negócios, no Instituto IMD Lausanne (Suíça). Nos anos 70 e 80, lecionou na Universidade de Brasília – inclusive deu aulas para quem viria a ser reitor da UFSC, Prof. Álvaro Toubes Prata. Ainda na capital federal, foi Secretário Executivo do Conselho Nacional de pós-Graduação da CAPES (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior) e Superintendente de Desenvolvimento Industrial e Infraestrutura do CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico).

Em 2010, tornou-se Conselheiro de Administração certificado pelo Instituto Brasileiro de Governança Corporativa. No ano passado, o professor ainda coordenava projetos na Fundação CERTI (Centros de Referência em Tecnologias Inovadoras), com base nos seus 16 anos de atuação na Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (FIESC). Lá, foi Superintendente do Serviço Social da Indústria (SESI) e Diretor Superintendente do Instituto Euvaldo Lodi (IEL).

Antes disso, havia sido Secretário-Adjunto de Tecnologia, Energia e Meio Ambiente do Estado de Santa Catarina. Também presidiu o Centro Cerâmico do Brasil e assessorou novos negócios no grupo Portobello, além de ter sido membro de dezenas de conselhos em organizações públicas e privadas.

Com informações da assessoria de imprensa da FAPESC

Autor: Rodrigo Lóssio

Jornalista formado pela UFSC, especialista em Propaganda e Marketing pela UNIVALI, com MBA em Gestão de Negócios, Mercados e Projetos Interativos pelo I-Group. É sócio-diretor da Dialetto e editor executivo do blog TI Santa Catarina.

Compartilhe esta postagem