Rudra aposta em TI para sustentabilidade

Incentivar que pessoas e organizações adotem práticas de sustentabilidade no seu dia a dia, com o apoio da tecnologia, especialmente softwares, é uma das apostas da empresa catarinense Rudra Tecnologias Sustentáveis. Fundada em 2008 por jovens técnicos empreendedores, a empresa teve foi, no ano seguinte, uma das agraciadas no Prime em Santa Catarina, programa da FINEP criado para incentivar empresas nascentes na consolidação de seus negócios.

A missão da Rudra é transformar o discurso de sustentabilidade em prática através de produtos e processos inovadores para segmentos considerados estratégicos. Dois produtos recém-lançados pela empresa já apontam para esta direção.

O primeiro projeto da Rudra foi o Green Jobs Brasil, que a empresa afirma ser o primeiro portal de empregos verdes do Brasil. Segundo uma pesquisa da Organização Internacional do Trabalho, o Brasil possui cerca de 2,6 milhões de postos de trabalho considerados empregos verdes.

O Green Jobs foi uma iniciativa que visa atender este nicho: mostrar as novas oportunidades de trabalhos em prol do meio ambiente. Em outros países existem iniciativas parecidas. O objetivo do portal é ser um canal de comunicação entre entre empresas que atuam de maneira verde e profissionais qualificados para essas atividades. Totalmente gratuito, empresas e profissionais podem usá-lo sem nenhum tipo de cadastro ou cobrança. As ofertas de empregos estão subdivididas pelas áreas Técnicos, Educadores, Gestores e Comercial, e podem ser procuradas por um fácil sistema de buscas de empregos.

Karina de Souza, sócia-diretora da Rudra

Outro portal que acaba de ser lançado pela Rudra é o Construção Eficiente – um ambiente criado para aproximar prorifissionais e empresas que buscam produtos e serviços ecoeficientes para a construção civil. A iniciativa já conta com mais de 400 itens, entre soluções para economia de água e energia, climatização, materiais mais eficientes, móveis e artigos de decoração. Já apostam no projeto empresas como Deca, Eliane, Komeco, Thermosystem, Bambu Carbono Zero, entre outras.

Fabricantes, lojistas e profissionais de produtos e serviços com critérios de ecoeficiência poem divulgá-los gratuitamente por 30 dias. Após o período, o serviço de divulgação se torna pago.

Estima-se que 6% dos consumidores brasileiros praticam o chamado consumo consciente e este número tende a crescer rapidamente. O portal Construção Eficiente estará empenhado em ser um ambiente de fair trade, prezando por relações de negócios justos, onde todos ganham: o fornecedor, o comprador e o planeta.

Marco Sulzbacher, sócio-diretor da Rudra

Autor: Rodrigo Lóssio

Jornalista formado pela UFSC, especialista em Propaganda e Marketing pela UNIVALI, com MBA em Gestão de Negócios, Mercados e Projetos Interativos pelo I-Group. É sócio-diretor da Dialetto e editor executivo do blog TI Santa Catarina.

Compartilhe esta postagem
  • Bruno

    Bacana a idéia!