Reforço para as Startups de tecnologia em Santa Catarina

por Eric Santos

Apesar das diversas histórias que escutamos sobre empresas como Google, Youtube, Facebook, Twitter, ou mesmo alguns casos brasileiros mais conhecidos tais como Buscapé e Mercado Livre, a realidade é que a maioria das Startups fracassa. Para cada um desses casos de sucesso que ouvimos falar repetidamente, dezenas de empreendedores tentam reproduzir o mesmo sonho e acabam ficando muito aquém da sua expectativa e potencial.

A razão desse fracasso pouco tem a ver com a questão tecnológica ou com a incapacidade dos fundadores de criar a equipe e o produto. A principal causa de morte das Startups é dada ao fato delas não conseguirem encontrar mercado o seu produto revolucionário. Ou nas palavras de Marc Andreessen, as Startups fracassam por (e somente por) não encontrarem o Product/Market Fit.

Nos EUA, mesmo com a abundância de Capital de Risco, nos últimos anos tem crescido um movimento – puxado tanto por empreendedores quanto por investidores – que reconhece esse problema e propõe alternativas para aumentar significativamente a taxa de sucesso das novas empresas de base tecnológica. Esse movimento foi batizado de Lean Startup.

O conceito fundamental da Lean Startup parte do princípio de que grande parte da sua visão inicial do empreendedor sobre o negócio (produto, clientes, marketing, canais, etc.) são apenas hipóteses que devem ser provadas o quanto antes no mercado, e que esses componentes do negócio devem ser adaptados na medida em que novos fatos vão surgindo neste processo de validação da ideia no mercado.

Em uma Lean Startup, o empreendedor e o investidor entendem que há duas fases muito distintas da empresa: a fase da Procura pelo Negócio – com foco em experimentação e aprendizado – e a fase do Crescimento, com foco na execução de um modelo escalável que foi descoberto. Para garantir a passagem de uma fase à outra, a Lean Startup lança mão um processo proativo de investigação e desenvolvimento de clientes (Customer Development) combinado com técnicas de desenvolvimento ágil de produtos e rigor em métricas para aprendizado.

Promovermos e alinharmos esse movimento no Brasil e especialmente em Santa Catarina se faz ainda mais necessário do que nos EUA, já que o Capital de Risco por aqui é um recurso escasso e a maioria dos empreendedores não pode “se dar ao luxo” de errar. Tenho procurado ajudar a difundir alguns destes conceitos através do blog Manual da Startup e de algumas palestras e encontros, contado sempre com o apoio de diversas outras iniciativas, tais como o próprio TISC.

Para ajudar nessa tarefa, no dia 23/04 faremos em Florianópolis a exibição simultânea da Startup Lessons Learned Conference, evento que acontece em San Francisco-EUA com a participação dos principais pensadores e praticantes do movimento, que apresentarão e discutirão conceitos, técnicas e estudos de casos de sucesso. Além do Simulcast, durante a manhã teremos a formalização do grupo Floripa-Startups, uma apresentação conceitual sobre o tema Lean Startup, e espaço para networking entre os participantes. Esse evento pretende ser um pontapé inicial para novos eventos e encontros relacionados ao tema de empreendedorismo tecnológico em Santa Catarina.

Para conferir a agenda e se inscrever para participar do evento, basta acessar o site do evento.

Eric Santos (@ericnsantos) é empreendedor, entusiasta de lean startup e diretor executivo da Praesto Convergence, de Florianópolis.

Autor: Equipe TISC

Os redatores do blog TI Santa Catarina são jornalistas com larga experiência no segmento de tecnologia e inovação. Para sugestões, críticas e comentários, entre em contato conosco.

Compartilhe esta postagem