Pequenas empresas ganham novas fontes de crédito para iniciativas inovadoras

A agilidade, característica e necessária do segmento de inovação, acaba de ganhar um aliado quando o assunto é crédito. O convênio assinado entre o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul – BRDE, a Associação Catarinense de Empresas de Tecnologia – ACATE e a cooperativa central de crédito Sicredi-Sul vai permitir que os mais de 1,1 mil associados da ACATE possam financiar seus projetos por meio do programa BRDE Inova, do BRDE, via Sicredi.

Por meio do convênio, a ACATE fará a divulgação das linhas de financiamentos disponíveis para seus associados e fica responsável por ajudar o empresário a reunir documentos necessários para a captação do financiamento e por analisar a aderência do projeto ao programa BRDE Inova. As cooperativas filiadas ao Sicredi farão a análise do projeto e de sua viabilidade econômica. Assim, o processo ganha agilidade na tramitação dentro do BRDE, responsável pela liberação dos recursos.

“O BRDE tem buscado, por meio dessas parcerias, disseminar a oferta de crédito para a inovação. Já são quase R$ 500 milhões em financiamentos para a inovação desde a criação do programa, dos quais 47% em SC”

Nelson Ronnie dos Santos, superintendente do BRDE

Para o Consultor de Negócios do Sicredi, Oscar Cunha, o convênio reforça a parceria da cooperativa com Santa Catarina e contribui para o cumprimento da missão do Sicredi, de ser um propulsor do desenvolvimento das comunidades onde está presente. Ele cita como o principal benefício do convênio para os associados da ACATE a penetração da cooperativa no Estado. “Somos a primeira instituição financeira cooperativa de crédito do Brasil, com 115 anos no mercado e mais de 100 agencias no estado de SC”, afirma.

Na avaliação do diretor executivo da ACATE, Gabriel Sant’Ana Palma Santos, o objetivo é ampliar o acesso ao crédito para inovação dos associados, permitindo um caminho ágil para o financiamento de seus produtos e serviços inovadores. “O principal benefício é a criação de mais um canal de relacionamento e acesso ao crédito. Sabe-se que as empresas de tecnologia têm o seu principal ativo no capital humano, dificilmente investem em ativos fixos, como prédios e grandes equipamentos, logo a dificuldade em garantias. Ter parceiros que entendem essa realidade e estão dispostos a inovar também no acesso ao crédito é um grande diferencial”, afirma Santos.

O Programa BRDE Inova foi pioneiro em entender e atender as demandas do setor de tecnologia e das empresas inovadoras, afirma Ronnie, do BRDE. “A flexibilização de garantias para projetos de até R$ 1 milhão foi um avanço significativo e uma quebra de paradigmas no crédito de longo prazo”, explica. Para o executivo da ACATE, como a maior parte das empresas nasce sem um alto capital próprio, o acesso a crédito pode viabilizar e acelerar o negócio. “Isso gera emprego e renda para a economia e permite que as empresas sigam aumentando seu portfolio e conquistando novos mercados”, explica o superintendente do BRDE.

Tags: acate; brde; sicredi;

Autor: Rodrigo Lóssio

Jornalista formado pela UFSC, especialista em Propaganda e Marketing pela UNIVALI, com MBA em Gestão de Negócios, Mercados e Projetos Interativos pelo I-Group. É sócio-diretor da Dialetto e editor executivo do blog TI Santa Catarina.

Compartilhe esta postagem