Neoprospecta: tecnologia inédita para análise de bactérias

LinkedIn

Startup sediada no Sapiens Parque, em Florianópolis (SC), foca nos setores de saúde e alimentação para reduzir casos de infecção

 

Os sócios Marcos e Luiz Felipe levaram os projetos do doutorado para a startup

Os sócios Marcos e Luiz Felipe levaram os projetos do doutorado para a startup

Uma tecnologia inovadora capaz de realizar diagnóstico microbiológico em larga escala. A solução foi desenvolvida pela Neoprospecta, startup que é resultado do trabalho dos pesquisadores Marcos Oliveira de Carvalho e Luiz Felipe de Oliveira durante seus respectivos doutorados em Genética e Biologia Molecular, na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Sediada no Sapiens Parque, em Florianópolis (SC), a empresa recebeu em 2014 um aporte de R$ 4 milhões do fundo Cventures Primus, para investimentos em infraestrutura, área comercial, pesquisa e desenvolvimento.

 

A solução permite que instituições de saúde (hospitais, clínicas, postos de saúde) façam um mapeamento completo de possíveis focos de infecção, com detalhes de cada bactéria encontrada e um resultado entregue em tempo recorde. A tecnologia também pode ser aplicada na indústria alimentícia, em frigoríficos, nas estações de tratamento de água e outras áreas. No Brasil, segundo dados da Associação Nacional de Biossegurança (CNB), pelo menos 100 mil pessoas morrem ao ano devido a infecções hospitalares – um problema que poderia ser reduzido drasticamente com simples ações de higiene básica, como lavar as mãos.

 

Além da inovação tecnológica, outro grande diferencial é a escalabilidade: de uma só vez é possível fazer a análise de 512 amostras (em breve, poderá analisar até 1024), e cada amostra pode identificar dezenas de milhares de espécies de microrganismos. No método tradicional, com a utilização de uma placa de petri, as espécies são identificadas uma a uma, o que demandaria uma grande quantidade de placas e de  tempo para chegar ao mesmo resultado.

 

Até o momento não existia uma solução para realizar as análises microbiológicas em ambientes de forma eficiente, lacuna que agora é suprida pela tecnologia que desenvolvemos

Marcos Oliveira de Carvalho, diretor-presidente da Neoprospecta.

 

Um dos trabalhos referência da empresa foi o controle dos focos de contaminação da superbactéria KPC no Hospital Municipal São José (HMSP), em Joinville (SC). Neste caso, a Neoprospecta aplicou o diagnóstico microbiológico digital de precisão em diversas áreas do ambiente hospitalar e em culturas isoladas no laboratório da instituição. Foram feitos sensíveis testes da impressão digital contida no DNA das bactérias presentes no ambiente e também nas bactérias isoladas nos pacientes, para compreender como ocorreu a contaminação dentro do Hospital.

 

Compartilhe esta postagem