Florianópolis recebe evento internacional de inovação e empreendedorismo

Seminário Nacional de Parques Tecnológicos e IncubadorasInternacionalização e a retomada do crescimento econômico serão alguns dos destaques de dois eventos que a capital catarinense receberá em Outubro – um nacional e outro internacional. De 26 a 30 acontece em Florianópolis o XIX Seminário Nacional de Parques Tecnológicos e Incubadoras de Empresas e o 3° infoDev Fórum Global de Inovação e Empreendedorismo. A temática proposta é atual, marca a importância da pesquisa e do desenvolvimento para a geração de riqueza no mundo e aponta como as empresas e países podem se aproveitar desses valores no cenário de recuperação financeira.

A iniciativa do Ministério de Ciência e Tecnologia (MCT), Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores (Anprotec) e Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE) agrega esse ano um novo parceiro – o Programa infoDev/IFC, vinculado ao Banco Mundial. Com o tema central Empreendedorismo Inovador para o Desenvolvimento – Investimento, internacionalização e desenvolvimento inclusivo, o evento será o centro global de debates e apresentações de processos e mecanismos que estão gerando desenvolvimento de cidades, regiões e nações.

A realização conjunta dos eventos no Brasil será uma oportunidade para uma avaliação dos impactos da crise ao empreendedorismo inovador mundial. É uma convicção que inovação e empreendedorismo são componentes essenciais não apenas de um receituário de tratamento das conseqüências da crise, mas também elementos construtivos estruturais de uma economia privada mais sustentável, de um setor público mais responsivo e de uma sociedade civil mais proficiente.

Guilherme Ary Plonski, presidente da Anprotec

José Eduardo Fiates. Crédito: Rodrigo LóssioA crença de que a inovação pode contribuir para combater os efeitos da crise no Brasil é ratificada pelo aumento de investimentos públicos nas empresas. De acordo com um estudo realizado pela FIESP, há uma projeção de que os investimentos públicos para atividades de inovação nas empresas em 2009 cheguem a R$ 1,7 bi até o fim do ano, o que representa mais R$ 800 milhões em relação a 2008.

Esse panorama indica que mecanismos como as incubadoras de empresas e parques tecnológicos representam fontes essenciais de geração de riqueza. Todos os envolvidos com o tema no Brasil e no mundo sempre acreditaram que esse era o caminho para contornar a crise econômica.

José Eduardo Fiates, dirigente da Anprotec

Os resultados obtidos pelas empresas nascidas em incubadoras de empresas e parques tecnológicos é uma prova de que quanto mais se investir em inovação, mais se receberá de retorno, tanto para os cofres públicos quanto para a economia de forma geral. De acordo com levantamento da Anprotec, realizado em 2007, as empresas nascidas em incubadoras geram anualmente cerca R$ 2 bi de faturamento, sendo que R$ 400 milhões retornam sob a forma de impostos.

Com informações da assessoria de imprensa da Anprotec

Autor: Rodrigo Lóssio

Jornalista formado pela UFSC, especialista em Propaganda e Marketing pela UNIVALI, com MBA em Gestão de Negócios, Mercados e Projetos Interativos pelo I-Group. É sócio-diretor da Dialetto e editor executivo do blog TI Santa Catarina.

Compartilhe esta postagem