FAPESC financia novas pesquisas em SC

LinkedIn

A Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina (FAPESC) deu início em dezembro ao repasse dos quase R$ 13 milhões que permitirá a pesquisadores de renome nacional desenvolver ciência de ponta. Desde pesquisa básica na área da Química, até estudos de aplicação direta no território catarinense, os projetos têm em comum o fato de serem conduzidos por Núcleos de Excelência e por terem sido selecionados por meio de uma chamada pública da FAPESC.

Há trabalhos sobre os mais variados assuntos, como a preservação e o cultivo dos peixes nativos no Rio Uruguai; a aplicação da nanotecnologia para o desenvolvimento sustentável de materiais de construção civil; autores, obras e acervos literários catarinenses em meio digital. Das 18 propostas aprovadas, 16 partiram da UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina). Uma veio da Furb (Fundação Universidade Regional de Blumenau) e outra, da Univali (Universidade do Vale do Itajaí).

O Prof. João Batista Calixto, do Departamento de Farmacologia da UFSC, já havia sido beneficiado em 2007 pelo Programa de Apoio a Núcleos de Excelência (Pronex). Amanhã (20) ele receberá a primeira parcela dos R$600 mil garantidos para que, junto com sua equipe, possa analisar novos mecanismos envolvidos no controle dos processos inflamatórios, dolorosos e neurodegenerativos, focando em plantas medicinais com atividade antiinflamatória e antinociceptiva (a grosso modo, capaz de reduzir ou eliminar certas dores).

A maior verba aprovada, R$1,2 milhão, vai para o grupo coordenado pelo Prof. Hugo Alejandro Gallardo Olmedo, do Departamento de Química da UFSC. Ele objetiva a síntese de materiais funcionais adequados para constituição de dispositivos e nanoestruturas, com aplicações nas indústrias eletrônica e farmoquímica.

Terceira chamada
O Pronex provê verbas para pesquisadores de comprovada competência, organizados para desenvolver projetos de pesquisa científica, tecnológica e de inovação na fronteira do conhecimento. O volume de aplicações triplicou desde a criação do programa, em 2003. Naquele ano, uma chamada pública ofereceu R$ 4,8 milhões; em 2007, R$ 6.141.000,00; e agora R$ 11.761.253,00 + R$1.199.776,00 (do CNPq).
Para ver relação completa dos contemplados acesse o site do edital.

Autor: Rodrigo Lóssio

Jornalista formado pela UFSC, especialista em Propaganda e Marketing pela UNIVALI, com MBA em Gestão de Negócios, Mercados e Projetos Interativos pelo I-Group. É sócio-diretor da Dialetto e editor executivo do blog TI Santa Catarina.

Compartilhe esta postagem