Bookess aprimora publicação de e-books

LinkedIn

Nos últimos anos, diversas tecnologias e linguagens surgiram e foram sendo aprimoradas para tornar a experiência de se usar a internet mais rica e ágil. Com o advento da web 2.0, novos padrões tecnológicos foram desenvolvidos, permitindo que o usuário, de mero espectador do processo, passasse a de fato interagir com os meios e ele próprio ser o protagonista de sua história. Exemplo desta evolução – tecnológica e social – é o surgimentos de negócios e sites como o da a Bookess, editora virtual de livros aqui de Santa Catarina, incubada do MIDI Tecnológico, iniciativa mantida pelo Sebrae-SC e ACATE.

Novo site da Bookess

No caso do portal da catarinense, a evolução tecnológica permitiu que qualquer usuário passasse a poder escrever, criar e publicar na web um livro de sua autoria, em uma plataforma dinâmica e flexível. A experiência de se ler textos longos por meio da tela de um computador ou de dos mais distintos dispositivos móveis, como os leitores de e-books, tem se aprimorado, já é realidade para a Bookess e agora ganha novo ingrediente. A editora virtual acaba de lançar uma nova versão do seu site, que agora usa a linguagem Adobe Flex.

A atualização do publicador, que já foi considerado um dos melhores do mundo em recente pesquisa, sofisticou a navegação, tornando-a anda mais fácil e simples. Na nova versão, de um arquivo DOC ou PDF o escritor já pode publicar seu livro. Além disso, o usuário pode agora editar a capa do livro, ao inserir imagens, desenhar e até formatar as orelhas das publicações. Outro exemplo de interatividade que consta na nova versão do site é a possibilidade de o escritor receber sugestões de seus leitores durante a própria construção do livro.

BookessA Bookess segue um modelo que tem sido largamente utilizado pelos principais ícones da web 2.0 mundial: lançar de forma constante e periódica novidades, para manter a comunidade de escritores ativa e interessada em ampliar seu relacionamento com o portal.

A ideia foi lançar uma plataforma mais robusta que estivesse preparada para as inovações da Bookess. É fundamental buscarmos novas idéias e implementá-las rapidamente. A internet nos permite isso. Percebemos que a resposta dos usuários em relação às melhorias é imediata.

Marcos Passos, criador da Bookess

A saga por novas funcionalidades, certamente, não páram por aí. A Bookess está em fase final de desenvolvimento das interfaces para dispositivos móveis e o lançamento da loja virtual parece ser o grande trunfo para a própria sustentabilidade do portal. Os próprios autores poderão comercializar suas obras online, permitindo que elas sejam impressas e despachadas por meio dos Correios.

Autor: Rodrigo Lóssio

Jornalista formado pela UFSC, especialista em Propaganda e Marketing pela UNIVALI, com MBA em Gestão de Negócios, Mercados e Projetos Interativos pelo I-Group. É sócio-diretor da Dialetto e editor executivo do blog TI Santa Catarina.

Compartilhe esta postagem