Beth Kanter palestra no Social Good Brasil sobre tecnologia e terceiro setor

A autora do livro “The networked nonprofit” (no Brasil, “Mídias Sociais Transformadoras – Ação e Mudança no Terceiro Setor”), Beth Kanter, considerada a mulher mais influente em tecnologia pela Fast Company Magazine e “Mulher Inspiradora” pela PepsiCo, será destaque no segundo dia de palestras do Seminário Social Good Brasil, que acontece de 6 a 8 de novembro em Florianópolis.

Beth explicará como organizações e entidades sem fins lucrativos podem defender de modo mais eficaz suas causas por meio de um uso inteligente das redes sociais, com base na confiança e transparência – tema principal de seu bestseller. A palestrante também é autora de um dos blogs mais antigos e populares do terceiro setor, o Blog da Beth, e atua como CEO da Zoetica, prestadora de serviços de marketing on line a ONGs e empresas socialmente responsáveis.

Em seu livro, Kanter apresenta como captar recursos para ajudas humanitárias ou pesquisas e apresentará exemplos bem sucedidos desenvolvidos na web. “Uma constante na vida é que os seres humanos querem e precisam se conectar uns aos outros de modo significativo. Essas conexões são feitas por redes sociais, que são os meios para as conversações que geram as mudanças sociais. O trabalho de organizações sem fins lucrativos é catalisar e gerenciar essas conversações”, defende Kanter.

A blogueira mostra que as organizações podem se integrar às mídias sociais para construção de rede e marketing de relacionamento. Com mais de 30 anos de experiência no setor social em tecnologia, treinamento, capacitação de recursos e marketing, Kanter foi considerada a mulher mais influente em tecnologia pela Fast Company Magazine e “Mulher Inspiradora” pela PepsiCo.

Palestrantes nacionais
Na programação nacional, está prevista a apresentação de casos de sucesso na área. Entre os casos convidados que compartilharão sua experiência estão o “Games for Change Latin America“, por Gilson Schwartz, primeira rede latino-americana destinada a pesquisar, inovar e valorizar a relação entre jogos, aprendizagem e transformação social; e a plataforma Cidade Democrática, fundada por Rodrigo Bandeira, que permite que cidadãos comuns, políticos e iniciativa privada apontem soluções e alternativas para problemas locais. Hernán Éfron e Daniel Weimann, do Catarse e do Engage, plataformas de financiamento coletivo, vão falar sobre o poder das novas tecnologias na mobilização de recursos. Também participará da programação a coordenadora de Marketing Digital do Greenpeace Brasil, Amanda Fazano.

Sobre o Social Good Brasil
O termo Social Good significa “bem social” e o seu conceito, criado nos Estados Unidos, explica o fenômeno de usar novas tecnologias e o pensamento inovador para apoiar causas e solucionar problemas na sociedade.O Programa Social Good Brasil foi criado em fevereiro deste ano, inspirado no Social Good Summit, evento que reúne anualmente grandes nomes da tecnologia e do terceiro setor em Nova York. Tem três principais objetivos: disseminar o uso das tecnologias para a mudança social; identificar e apoiar experiências inovadoras e oferecer ferramentas e capacitações para projetos na área.

Autor: Rodrigo Lóssio

Jornalista formado pela UFSC, especialista em Propaganda e Marketing pela UNIVALI, com MBA em Gestão de Negócios, Mercados e Projetos Interativos pelo I-Group. É sócio-diretor da Dialetto e editor executivo do blog TI Santa Catarina.

Compartilhe esta postagem