Social Good Summit 2011: Skype na sala de aula, uma rede social internacional para professores

LinkedIn

Tony Bates, CEO do Skype, apresentou no Social Good Summit 2011 o programa Skype in the classroom, versão beta lançada em março de 2011, que visa formar uma rede de professores ao redor do mundo conectados entre si. E também com experts, autores, artistas e pessoas que tem a contribuir com a educação, como por exemplo pais que se dispõem a compartilhar seus conhecimentos com uma sala de aula via Skype. Alunos podem viajar para lugares nunca imaginados e conversar com pessoas que nunca estiverem em uma sala de aula depois que terminaram seus estudos.

Os professores criam perfis de suas classes e interesses. Uma vez na lista, eles podem procurar por outros professores e pessoas com os mesmos interesses ao redor do mundo.

How to create a profile and find a teacher from Skype in the classroom on Vimeo.

A primeira vez que vi esse tipo de movimento, ainda tímido e promovido por voluntários individualmente, foi em 2008, através de um site da ONU que relatava histórias de escolas do interior dos EUA que estavam se conectando com experts em biotecnologia, nanotecnologia e campos da ciência nunca antes acessíveis para alunos em sala de aula.

Conheci também um projeto em Florianópolis onde alunos estavam conectados com várias pessoas em Portugal.

Hoje a situação é outra: o próprio Skype está promovendo o programa, o que pode proporcionar uma escala global do uso da ferramenta para a educação.

A rede, em menos de 6 meses, conta com 16448 professores, 888 projetos colaborativos criados, 171 países, 58 idiomas, 11062 contatos requeridos entre os membros e 569 compartilhamentos de material. Ele citou experiências na África, onde vários países tem o Inglês entre um de seus idiomas, como já exitosas.

A meta anunciada pelo Skype é a de conectar um milhão de salas de aulas. O potencial é gigantesco, pois experts, autores, e pessoas que tem muito conhecimento a compartilhar estão em todos os países.

Essas pessoas podem atuar voluntariamente com essa rede de professores e a ferramenta é gratuita.

Qualquer pessoa pode dispor de meia hora de um dia de trabalho e conversar com uma sala de aula ou auditório durante o horário de aula, não acham?

A ferramenta é simples, fácil e universal. O programa para acontecer precisa de cada um de nós como voluntários. Quantos de nós já não pensamos em apoiar a educação em nosso Brasil?

Mais sobre a apresentação no Mashable.

Autor: Equipe TISC

Os redatores do blog TI Santa Catarina são jornalistas com larga experiência no segmento de tecnologia e inovação. Para sugestões, críticas e comentários, entre em contato conosco.

Compartilhe esta postagem