Presidente da FAPESC assume Conselho Nacional das Fundações de Amparo à Pesquisa

ConfapO presidente da Fapesc (Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina), Sergio Gargioni, foi escolhido, por unanimidade, presidente do Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap). Todas as 26 fundações estavam representadas na eleição que aconteceu em Salvador, durante o Fórum Nacional do Confap.

Sérgio Gargioni. Crédito: DivulgaçãoGargioni se empenhará na aprovação do Código de Ciência, Tecnologia e Inovação que está no Senado. As alterações do novo marco legal foram desenvolvidas a partir de demandas apresentadas pelo setor de CT&I ao grupo de trabalho do Confap, composta pela assessora jurídica da Fapesc e outras 4 Fundações. O novo presidente também quer manter agenda permanente de diálogo com as representações políticas de todos os poderes.

Criado em 2007, o Conselho é uma organização sem fins lucrativos que tem por objetivo melhor articular os interesses das agências estaduais de fomento à pesquisa. Por meio de suas associadas, o Confap executou um orçamento de R$ 2 bilhões em 2012. Estima-se que, este ano, esse valor chegue a R$ 2,5 bilhões.

Se avançamos até aqui, temos ainda mais a conquistar. Até porque, com a expansão da nossa presença institucional, nossa capilaridade, representatividade, atuação política, importância estratégica e capacidade articuladora, acabamos por criar expectativas que precisaremos sustentar. Hoje, o Confap é um dos protagonistas no palco da CT&I nacional e, por isso mesmo, precisa atuar com determinação para cumprir bem o seu papel. Então, é arregaçar as mangas e mãos à obra.

Mário Neto Borges, último presidente do Confap

Em pouco mais cinco anos, o Confap se tornou protagonista no ambiente nacional de CT&I, com assento e voz nos principais conselhos e comitês de decisão política e institucional na área. Ele participa do Conselho Nacional de Ciência e Tecnologia – CCT, Comitê Executivo do MCT&I, Comissão Técnica Nacional de Biossegurança – CTNBIO; Sistema Brasileiro de Tecnologia – SIBRATEC,; Programa de Apoio a Núcleos de Excelência – PRONEX, Centro de Gestão e Estudos Estratégicos – CGEE,; Comitê de Mudanças Climáticas; Conselho Nacional de Política Cultural; e Rede Pró Centro-Oeste.

Sobre o Confap
O Confap assegura às FAPs trânsito junto ao Governo Federal e seus Ministérios, Congresso Nacional, órgãos governamentais, entidades de classe e instituições nacionais e estrangeiras, abrindo portas, aproximando as FAPs do centro de decisões e financiamento, facilitando o diálogo em âmbito nacional. Por sua capacidade de articulação e presença institucional, o Confap agrega esforços que poderiam apresentar-se dispersos. Esta representatividade potencializa ações, políticas e recursos para os estados, via convênios cuja articulação flui através dele. Juntas, as FAPs ganham representatividade e força.

Autor: Rodrigo Lóssio

Jornalista formado pela UFSC, especialista em Propaganda e Marketing pela UNIVALI, com MBA em Gestão de Negócios, Mercados e Projetos Interativos pelo I-Group. É sócio-diretor da Dialetto e editor executivo do blog TI Santa Catarina.

Compartilhe esta postagem