Florianópolis ganha espaço de coworking

O Vilaj será um dos primeiros espaços de coworking da Grande Florianópolis, conceito de escritório coletivo que reúne várias empresas e profissionais em um único espaço. Localizado no bairro da Trindade em Florianópolis, vai atender em média de 9 a 18 micro e pequenas empresas, que terão à disposição uma estrutura completa, como salas de reunião, espaço de trabalho, cozinha equipada, banheiros e café, por um custo mínimo e secretária.

A ideia é também proporcionar aos clientes a ampliação e criação de networking de negócios. Neste primeiro momento, o Vilaj conta com empresas da área de TI, assessoria de imprensa e produção e edição de vídeo. A TxtCom, empresa de assessoria de imprensa que atua no mercado há 4 anos, a Coletivo Mmídia especializada em produção de vídeo e a Plugue-me, agência digital, já ocupam espaço no novo endereço.

Tendência de trabalho
Profissionais autônomos que trabalham em casa ou viajam muito a trabalho sofrem de um problema em comum: o isolamento. Coworking é união de um grupo de pessoas que continuam trabalhando independentes umas das outras, mas compartilham valores e buscam a sinergia que acontece quando pessoas talentosas dividem o mesmo espaço, gerando um fluxo de troca de ideias e experiências.

Grande parte dos espaços de coworking foram fundados por empreendedores “nômades” de tecnologia, que buscavam locais de trabalho alternativos aos cafés e suas próprias casas. Incubadoras de startups, centros de negócios ou escritórios virtuais não se encaixam no modelo de coworking, pois lhes faltam os principais aspectos: o social, o colaborativo e o informal. As práticas de conduta do coworking fazem com que ele se aproxime mais ao modelo das cooperativas, uma vez que o foco não está apenas no lucro, mas também na sociedade.

História
O termo coworking foi criado por Bernie DeKoven em 1999 e em 2005 usado por Brad Neuberg para descrever um espaço físico, primeiramente chamado de “9 to 5 group”. Neuberg criou o Hat Factory, um espaço de coworking baseado em São Francisco, um apartamento onde trabalhavam três profissionais de tecnologia e que abria suas portas durante o dia para “avulsos” que precisavam de um lugar para trabalhar e queriam compartilhar experiência. Hoje, existem mais de 400 espaços de coworking, em 6 continentes.

Autor: Rodrigo Lóssio

Jornalista formado pela UFSC, especialista em Propaganda e Marketing pela UNIVALI, com MBA em Gestão de Negócios, Mercados e Projetos Interativos pelo I-Group. É sócio-diretor da Dialetto e editor executivo do blog TI Santa Catarina.

Compartilhe esta postagem