Celta: primeira incubadora do país completa 25 anos

LinkedIn

O Centro Empresarial para Laboração de Tecnologias Avançadas (CELTA), incubadora de base tecnológica da Fundação CERTI, acaba de completar 25 anos e foi uma das primeiras no Brasil a contar com um processo formal de incubação. Ajudou a colocar Florianópolis no cenário nacional no que diz respeito à inovação e tecnologia e a constituir o polo tecnológico da capital.


Neste período, graduou 68 empresas, entre elas a Intelbras, a Datasul (vendida posteriormente à Totvs), a Reivax, Reason, entre outras. No próximo dia 13, às 19h, haverá uma solenidade em comemoração aos 25 anos da incubadora com a presença de autoridades e empresários que fizeram parte da história do CELTA.

Atualmente, a incubadora abriga 32 empresas dos mais diversos setores, as quais faturam juntas R$ 45 milhões/ano e são responsáveis por empregar 750 pessoas.

As empresas recebem suporte desde o operacional até o desenvolvimento do negócio, como a busca por recursos financeiros e parcerias técnico-científicas. O modelo tem se provado como o ideal para o desenvolvimento de empresas em Florianópolis, pois permite que boas ideias, muitas vezes projetos de jovens recém-formados, sem capital inicial, possam ser desenvolvidas e recebam aportes de capital.

Tony Chierighini, diretor do CELTA

Servindo de referência para implantação de outras incubadoras similares no México, Peru e Venezuela, além de várias em todo o Brasil, o CELTA é a única autossustentável do País, ou seja, não depende de recursos públicos para se manter. Os recursos são provenientes das próprias empresas, que contribuem com taxas de manutenção para receberem os serviços prestados pela incubadora. Entre eles estão: suporte financeiro, jurídico, gerencial, de marketing, tecnológico, apoio na busca de financiamentos, promoção de cursos e treinamentos.

A incubadora já recebeu várias premiações. Foi por três vezes escolhida a Melhor Incubadora, prêmio concedido pela Anprotec, sendo que a última premiação foi este ano.

O CELTA em números

  • Planos de negócios recebidos e avaliados – 2700
  • Empresas admitidas desde a criação da Incubadora – 110
  • Empresas graduadas – 68
  • Empresas em incubação – 32
  • Produtos colocados no mercado pelas EBTs* – 570
  • Registros de propriedade intelectual das EBTs – 250
  • Colaboradores das EBTs incubadas – 750 (destes, 65% são técnicos de nível superior)
  • Faturamento em 2010 das incubadas e graduadas – R$ 1,4 bilhão
  • Impostos gerados em 2010 pelas incubadas e graduadas – R$ 320 milhões

Autor: Rodrigo Lóssio

Jornalista formado pela UFSC, especialista em Propaganda e Marketing pela UNIVALI, com MBA em Gestão de Negócios, Mercados e Projetos Interativos pelo I-Group. É sócio-diretor da Dialetto e editor executivo do blog TI Santa Catarina.

Compartilhe esta postagem