CDI-SC lança programa de reciclagem de lixo eletrônico

LinkedIn

O crescimento na venda de computadores na última década gerou uma série de benefícios sociais para a população, que está cada vez mais conectada. Porém, este avanço, alinhado com o poder de consumo e a necessidade de manter equipamentos atualizados, tem ampliado a geração de toneladas de lixo eletrônico, ano a ano.

O armazenamento e o descarte deste tipo de lixo são preocupações de diversas entidades ligadas ao setor de tecnologia na Grande Florianópolis, que unem esforços e lançam no dia 20 de setembro, segunda-feira, o Centro de Reciclagem Tecnológica (CERTEC). A iniciativa é do Comitê para Democratização da Informática em Santa Catarina (CDI-SC) e tem o apoio da Associação Comercial e Industrial de Florianópolis (ACIF), Associação de Usuários de Informática e Telecomunicações de Santa Catarina (SUCESU-SC) e Associação Catarinense de Empresas de Tecnologia (ACATE).

O espaço para receber o lixo eletrônico faz parte do ReciclaTec, programa de reciclagem tecnológica criado pelo CDI-SC, que também será lançado na oportunidade. Serão anunciados também pontos em toda Grande Florianópolis que poderão receber os equipamentos eletrônicos para descarte, como CPUs, laptops, monitores, teclados, mouses, celulares, entre outros. Todo o lixo recolhido nestes locais serão captados e enviados para o CERTEC, que ficará responsável por dar o destino correto para todos os materiais. Equipamentos ainda com possibilidade de uso serão encaminhados para laboratórios de comunidades ligadas ao CDI-SC, que promovem aulas de informática e cidadania para população.

Além de captar e tratar todo o lixo eletrônico, o CERTEC irá também qualificar pessoas de comunidades com baixa renda para receber formação básica em informática, cidadania e aptidão em manutenção, montagem, desmontagem e reciclagem de computadores, entre outros. O projeto prevê a realização de cursos de Formação Inicial e Continuada, específicos para desmontagem e separação do lixo eletrônico em partes recicláveis. Estes materiais, após a separação, serão comercializados visando a sustentabilidade do projeto.

Empresas que atuam na comercialização e fabricação de equipamentos eletrônicos na Grande Florianópolis também integram a iniciativa com o objetivo de oferecer a logística reversa de seus produtos, ou seja, criar um mecanismo para que os equipamentos obsoletos ou inutilizados possam retornar para o fabricante ou distribuidor. Esta é, inclusive, uma exigência da recém-lançada lei nacional dos resíduos sólidos, que define a responsabilidade compartilhada de cada integrante de cadeia de consumo de um produto – do fabricante ao consumidor.

Mais informações sobre o programa Reciclatec e o CERTEC em http://www.cliquefuturo.org.br.

Autor: Rodrigo Lóssio

Jornalista formado pela UFSC, especialista em Propaganda e Marketing pela UNIVALI, com MBA em Gestão de Negócios, Mercados e Projetos Interativos pelo I-Group. É sócio-diretor da Dialetto e editor executivo do blog TI Santa Catarina.

Compartilhe esta postagem
  • luciana

    tenho um equipamento parado sou de biguaçu sc e vi na tv o anuncio de vcs p descarte de equipamento gostaria de saber como fazer p vc pegarem este equipo….sem mais obrigada

  • FÁBIO DE SOUZA

    possuo alguns equipamentos os quais inutilizados e gostaria de saber se vocês tem alguma informação de empresas que reciclam esse tipo de equipamento e que pagam por esses equipamentos são impressoras do tipo dielbold e microterminais da WILBOR, estou situado em Lages – SC.
    Certo de sua atenção desde já agradeço e fico no aguardo de seu retorno.