Aceleradas do Darwin Starter apresentam inovações a investidores

Mais de 600 pessoas participaram do último Meetup do StartupSC, que apresentou as aceleradas do Darwin Starter / Foto: Divulgação/Dialetto

Mais de 600 pessoas participaram do último Meetup do StartupSC, que apresentou as aceleradas do Darwin Starter / Foto: Divulgação/Dialetto

Seis soluções desenvolvidas, testadas e que já estão no mercado foram apresentadas a investidores e aos mais de 600 participantes da última edição do Meetup StartupSC, realizada no Centro de Inovação ACATE (CIA) Primavera, no dia 18 de fevereiro, em Florianópolis. O encontro, organizado pelo programa StartupSC do Sebrae/SC, trouxe um dos empreendedores mais badalados no cenário nacional de inovação – o fundador do Buscapé e hoje sócio do fundo Redpoint e.Ventures, Romero Rodrigues – e dedicou a segunda parte da programação para um pitch com as seis startups selecionadas pelos mentores da aceleradora Darwin Starter, iniciativa da Cventures que encerrava sua primeira edição naquela noite.

 

Diante de uma plateia que não arredou o pé após a palestra de Romero, seis empreendedores defenderam os projetos que foram exaustivamente elaborados, repensados, questionados e validados ao longo dos seis meses de duração do programa, que investiu um total de R$ 500 mil em recursos, mentorias e serviços (UX, branding, inbound marketing, conteúdo digital, assessoria de imprensa) para 10 startups catarinenses selecionadas em agosto de 2015. Destas 10, seis passaram pela segunda etapa, que escolhia as empresas que conseguiram ter o melhor aproveitamento geral do programa de aceleração.

 

Conheça as startups:

 

Ser a “Embraer das aeronaves não tripuladas” é o objetivo declarado da Hórus Aeronaves, segundo o CEO Fabrício Herz. A startup produz drones voltados para o monitoramento de grandes extensões territoriais, gerando fotos georreferenciadas com qualidade oito vezes superior às imagens de satélite. Com clientes na área de agronegócios, topografia e mineração, a Hórus estima fechar 2016 com um faturamento de R$ 2,5 milhões (500% acima do resultado de 2015) e buscou no evento investimento de R$ 2 milhões.

 

A Meetime, desenvolvedora de um software para inside sales, aposta em uma demanda natural do mercado – a necessidade das empresas gerenciarem as oportunidades comerciais (leads) – para crescer de maneira exponencial. A solução foi criada para melhorar a performance de vendedores de leads internos. A equipe da Meetime conta com seis pessoas (quatro engenheiros e dois cientistas da computação) e seu conteúdo já gerou cerca de 700 leads. Hoje, são 16 clientes pagantes e a expectativa é fechar o ano com 121, passando para 496 em 2017. Para isso, procuram aporte de R$ 450 mil.

 

A QAMetrik desenvolveu um robô que inspeciona códigos que estejam com falhas ou reduzindo a capacidade de utilização de ERPs. O foco é em ambientes SAP, que dominam o mercado dos Estados Unidos (40% de share) e que está em expansão no Brasil – 3% das empresas utilizam o sistema. O objetivo é otimizar processos das implementadoras, reduzindo custos e evitando perdas. A projeção é de 100 novos clientes utilizem a solução da QAMetrik até o final do ano. O investimento necessário para esta expansão é de R$ 2,5 milhões.

 

O mercado de venda direta – no qual consultoras trabalham com catálogos de grandes marcas – é o foco da Bem Vendi, que desenvolveu um aplicativo para gestão de estoques, vendas e caixa. No Brasil, são 5 milhões de pessoas que atuam neste segmento, das quais 95% são mulheres. O app da Bem Vendi é freemium (quem assina pode utilizar a solução também como meio de pagamento) e permite também a geração de boletos e o uso offline. Hoje, são mais de 5,2 mil usuários ativos, que devem resultar em um faturamento de R$ 640 mil para a empresa neste ano. A expectativa é que até 2020 3 milhões de pessoas utilizem o sistema da Bem Vendi, que espera aporte de R$ 500 mil para alavancar os negócios.

 

A UseBike tem como propósito estimular o uso das ‘magrelinhas’ por turistas, por meio de um sistema de aluguel de bicicletas fornecidas para redes de hoteis. O projeto piloto começou neste ano, no Rio de Janeiro, em aproximadamente 30 hoteis da zona sul e oeste da capital. A startup também pretende desenvolver um modelo de franquias para instalação em outras cidades. Por meio de três investidores anjo, a empresa já levantou R$ 1,6 milhão em recursos e busca agora outro aporte de R$ 1 milhão para chegar ao objetivo de faturar R$ 8 milhões até o final de 2016.

 

Quinta maior rede de canais online do país, a Dia Estúdio desenvolveu uma plataforma para monetizar os youtubers. Além disso, ajudam a produzir e a desenvolver a estratégia de conteúdo. Os 35 canais da rede geraram 30 milhões de visualizações e a empresa pretende também trabalhar com o modelo de agenciamento de campanhas. Recentemente, a Dia!Estúdio desenvolveu campanhas de vídeo para o Governo de Santa Catarina (combate ao mosquito da dengue) e a Saraiva (para a Black Friday). Neste primeiro trimestre do ano, a startup estima um faturamento de R$ 240 mil – antes de participar do Darwin Starter, faturava em mesmo período um total de R$ 50 mil. O aporte necessário para escalar a produção é de R$ 2 milhões.

Autor: Equipe TISC

Os redatores do blog TI Santa Catarina são jornalistas com larga experiência no segmento de tecnologia e inovação. Para sugestões, críticas e comentários, entre em contato conosco.

Compartilhe esta postagem