A crise chegou à TI?

LinkedIn
Pesquisa com dados do segundo semestre de 2016 mostra recuo das expectativas para o setor de TI no Brasil

Pesquisa com dados do segundo trimestre de 2016 mostra recuo das expectativas para o setor de TI no Brasil / Imagem: Pixabay

O setor de tecnologia não deve passar imune à recessão econômica do país. A pesquisa trimestral “Mercado Brasileiro de TIC” realizada pela Advance Consulting em julho mostrou que a confiança dos empresários de TI mudou radicalmente desde a sondagem anterior, realizada em abril, devido a um segundo semestre considerado “desastroso” em vendas – o pior desde 1999, ano da maxidesvalorização do Real. Na avaliação dos entrevistados, o setor de tecnologia deve crescer apenas 3,1% em 2016 – há três meses, a expectativa era de um crescimento de 5,2%. Ainda assim, a perspectiva é muito superior em comparação ao resultado do PIB, que teve queda de 3,8% no segundo trimestre de 2016 em comparação com o mesmo período do ano passado.

Porém, a consultoria avalia que o cenário é de cautela, já que o investimento em marketing e vendas deve cair neste ano e que mais empresas (34%) afirmaram que vão reduzir o quadro de colaboradores – apenas 24% disseram que pretendem contratar em 2016. Do total de empresas que participaram da pesquisa, 35% têm como atividade principal desenvolvimento de software, 25% representam integradores ou revendas de TI, 17% são consultorias e 14% são empresas relacionadas a cloud.  

Cloud puxa os resultados do setor

Nem todas as empresas de TI foram impactadas da mesma forma. Entre as que mais sofrem neste cenário econômico estão as revendas de infraestrutura, distribuidores e integradores de tecnologia. Já as consultorias e as empresas com foco em produtos e serviços em nuvem são as que estão sofrendo menos impacto – e devem crescer em média 10% no ano. Em função deste desempenho, a tendência é que cada vez mais as empresas que atuam com cloud computing (a chamada new school) ocupem espaços das companhias mais tradicionais, que ainda não oferecem soluções em nuvem.

O gráfico abaixo mostra que esta tecnologia é a que mais se desenvolve no setor, seguida por serviços mobile e marketing digital:

Pesquisa Mercado TIC Brasil tendências

A saída: marketing mais matemático

Em tempos de crise, o dinheiro muda de mãos. As companhias mais preparadas e inovadoras (new school), que usam corretamente as ferramentas de marketing e vendas e tem capacidade de adaptação, se aproveitam do cenário e crescem. Na avaliação da consultoria, a saída para vencer o cenário de crise que se mantém no país – e está começando a afetar mais diretamente as empresas de TI – é investir no “marketing matemático”, ou seja, orientado a vendas e métricas, com ações direcionadas para cada uma das etapas do funil.

Autor: Equipe TISC

Os redatores do blog TI Santa Catarina são jornalistas com larga experiência no segmento de tecnologia e inovação. Para sugestões, críticas e comentários, entre em contato conosco.

Compartilhe esta postagem