Social Good Summit 2011: um Davos Digital

Tive a oportunidade única de participar em Nova York do Social Good Summit, evento que está sendo considerado como o “Davos Digital” em referência ao Fórum Econômico Mundial que ocorre todos os anos na Suíça.

Promovido pela United Nations Foundation, braço de apoio da ONU, pelo Mashable, maior portal de mídia digital do mundo, e pela 92Y, uma ONG super organizada de NY que tive a oportunidade de visitar, o Social Good Summit 2011 reuniu, entre os dias 19 e 22 de setembro, semana da ONU, 1.600 pessoas ao vivo e mais de 100 mil pela internet. Foram mais de 100 mil tweets usando o #SocialGood e mais de um milhão de minutos de views nos vídeos via Livestream.

O evento foi um sucesso, com troca de experiências de pessoas de vários países, reunidas na cidade e ao redor do mundo. Teve como objetivo demonstrar como a tecnologia e as novas mídias podem ser utilizadas para as mudanças sociais positivas e para o alcance dos Objetivos do Milênio em 2015.

O Social Good Summit foi criado para dar a todos nós, em todos os cantos do mundo, um assento na mesa durante a semana da ONU e um papel a desempenhar nas mudanças globais. Essa abertura da ONU me surpreendeu e me animou muito, pois agora cada um de nós pode ser protagonista, e não mero espectador, das mudanças que quer ver acontecer no nosso planeta.

Segundo os organizadores, os resultados foram muito além dos esperados e acreditam que esse foi apenas o começo. Acreditam que se não fosse a crença, de cada um dos participantes, ao vivo e online, no uso das novas mídias como um megafone virtual e das tecnologias como as ferramentas mais sustentáveis para resolver os grandes problemas e desafios mundiais, nada disso teria sido possível.

Entre os palestrantes estavam personalidades laureadas com o Prêmio Nobel, como Elie Wiesel, Desmond Tutu e Muhamad Yunus; artistas como Geena Davis e Richard Gere; os esportistas Lance Armstrong e Serena Williams; além de expoentes da mídia e do mundo da tecnologia como Ted Turner, da CNN, o CEO do Skype Tony Bates e Hans Vestberg, presidente mundial da Ericsson.

O poder de mobilização das mídias sociais é impressionante e foi demonstrado e debatido através de cases e experiências.

Entre os vários casos apresentados estavam o Do Something, que tive a oportunidade de visitar. Uma organização que mobiliza quase que instantaneamente em torno de 6 milhões de adolescentes em suas campanhas sociais. Conheci também a Charity Water, que recebe milhares de doações de todo o mundo para construção de poços que oferecem água potável em países em desenvolvimento.

Também foi demonstrada a eficácia do uso de mídias sociais em campanhas de saúde pública, principalmente aquelas relacionadas a saúde da mulher. Christy Turlington, top model e criadora da Every Mother Counts, apresentou os resultados positivos de sua associação com Heather Armstrong, autora do blog Dooce que possui uma audiência de milhares de mulheres em todo o mundo.

Além do poder de mobilização das novas mídias, foi discutido também o uso da tecnologia em áreas específicas como na educação. Jeffrey Sachs mostrou o projeto Education in a Networked Society, que oferece ensino médio de alta qualidade em lugares mais remotos da África, enquanto Tony Bates, do Skype, apresentou uma iniciativa da empresa que possibilita que profissionais participem de aulas em escolas públicas, criando uma ponte entre os professores e especialistas no campo de estudo das diversas disciplinas.

O último dia do evento foi dedicado a apresentação dos 8 finalistas do Prêmio Start Up Challenge, oferecido a empreendimentos em fase inicial que fazem uso da tecnologia para gerar impacto positivo no planeta. A grande vencedora foi Eden Full, uma jovem de 19 anos que desenvolveu uma tecnologia simples e barata para aumentar a eficiência das placas de energia solar. Foi emocionante ver uma nova geração comprometida em criar tecnologias para resolver problemas sociais e ambientais da humanidade.

Entre os palestrantes e participantes do Social Good Summit 2011 foi possível perceber diferenças claras entre gerações. Os mais jovens conectados todo tempo em seus laptops e celulares, completamente a vontade no uso das novas mídias e tecnologias. Enquanto isso pessoas como Elie Wiesel e Yunus chamavam a atenção para o fato da tecnologia ser apenas um novo meio e que o mais importante é o conteúdo e a intenção das mensagens que devem ser disseminadas para provocar mudanças sociais.

Em minha opinião, o Social Good Summit foi sem dúvida um marco de um novo tempo, no qual a humanidade dispõe de informações e tecnologias para garantir justiça social para todos os habitantes do planeta. As mudanças para melhor agora só dependem da nossa vontade e do nosso comprometimento.

Autor: Equipe TISC

Os redatores do blog TI Santa Catarina são jornalistas com larga experiência no segmento de tecnologia e inovação. Para sugestões, críticas e comentários, entre em contato conosco.

Compartilhe esta postagem